sábado, 15 de fevereiro de 2014

"Veja a fumaça destas chaminés..."

Entrevista á banda de Lauro Müller, SUJEITO COMUM!


1-Quando que a banda surgiu?
R: A banda surgiu em meados de 2011, os três integrantes originais já haviam tocado em outra banda na juventude e estavam de férias em sua cidade natal(Lauro Müller). Sem pretensão nenhuma, começamos a nos reunir 1h,2h,3h por dia para conversar e fazer um som. Dessa brincadeira, que demorou cerca de 1 mês, resultaram as músicas do nosso primeiro EP(Carvão em Pó).

 2-O porquê do nome "Sujeito Comum"?
R: Sujeito Comum é um termo que para nós representa basicamente o cara que vive livre em sociedade e está inerente a toda e qualquer interferência que o universo promover, é livre pra questionar e decidir o que bem entender da sua vida.

3-Quais as influências musicais da banda?
R: Nossas influências musicais são bem variadas, cada integrante tem uma particularidade, porém como influências comum a todos podemos destacar Raul Seixas, Rage Against the Machine, The Doors, Planet Hemp, Cazuza,  Bob Marley, Dazaranha, Metallica, Gabriel o Pensador, O Rappa, The Beatles, Black Sabbath, Johnny Cash, Raimundos, B Negão e os Seletores de Frequência, Cachorro Grande, Pink Floyd, Engenheiros do Hawaii, Ponto de Equilíbrio,bem variado mesmo o negócio (risos).

4-Como foi o processo de composição do Ep "Carvão em pó" e as principais características em suas letras?
R: O processo de composição foi rápido. Rápido até demais. A nossa primeira música foi a Agonia, que o Felipe trouxe a melodia e a letra e nós começamos a pensar em como tocar algum riff em cima da linha de vocal que ele tinha proposto. A dinâmica de composição foi bem parecida em todas as músicas do EP, alguém apresentava a idéia inicial e o restante do tempo a gente discutia as idéias em ensaios e montava as músicas.
Vale ressaltar que na maioria das músicas gravadas não foi feito pré-produção exclusiva, as músicas
foram gravadas realmente como foram criadas, sem destaque individual. A ideia principal da banda  sempre foi citar nas letras os problemas sociais, seus dogmas e crenças, a maneira como o ser humano se porta diante da enxurrada de informações que são expostas e impostas.

5-A banda sempre foi um Power Trio, ou teve mais formações?
R: A banda sempre foi um Power trio, desde o começo, porém desde o 2º semestre de 2013 estamos com mais um guitarrista, o Rômulo Canever, na banda.
A entrada de mais um integrante foi ótima para todos nós, pois podemos explorar um pouco mais os experimentos sonoros nas composições, visto que estamos utilizando duas guitarras com afinações diferentes na maioria das composições.

6-Um show inesquecível que vocês fizeram? Ou um festival?
R: Nós poderíamos destacar o show de abertura para a Cachorro Grande como nosso show inesquecível ou então o show de lançamento de nosso primeiro EP, que sem dúvida alguma foram shows inesquecíveis, mas não há como não mencionar o nosso primeiro show, que foi realizado em novembro de 2011 no 1º Rock in Rio do Rastro.

O festival foi uma iniciativa que surgiu em um de nossos ensaios e tinha a proposta de reunir bandas de nossa cidade, Lauro Müller, para mostrar seu som para a cidade, pois nunca houve uma iniciativa desse tipo em nossa região. Todos os nossos 4 integrantes(Felipe, André, Eduardo, Rômulo(que na época tocava em outra banda)) e também amigos de outras bandas  estavam envolvidos na organização,  desde a limpeza do local, serviço de bar e montagem dos equipamentos para as bandas.
Foram 7 bandas ao longo da noite, e devido ao tempo que o festival já havia consumido, nosso tempo só nos permitiu executar 4 músicas, mas com certeza foi uma noite que todos nós lembraremos por um bom tempo devido ao empenho e a colaboração geral de todos que estavam envolvidos...

7-Um fato engraçado que já aconteceu com vocês em algum ensaio ou até mesmo show?
 R: Então, aconteceu algumas vezes de o pessoal se reunir pra ensaiar e compor, mas antes mesmo do processo começar já estava todo mundo bêbado e o ensaio não rendeu nada, nem discussão. (risos)

8-Onde vocês ensaiam?
R: Nossos ensaios ocorrem no Estúdio Paranoid's, em Lauro Müller, que é propriedade de nosso baterista, André Augusto Araújo.

9-São a favor das bandas que preferem tocar cover do que som próprio?
R: Dois de nossos integrantes já fizeram parte de bandas covers da nossa região(Sinnerator(Motörhead) e El Cerrito(Creedence ClearWater)). Não podemos julgar as bandas que fazem covers, porém desde sempre optamos por tocar nossos sons. Até tocamos alguns covers no set list, porém não é e nem nunca vai ser nossa prioridade. 

Tão verdade, que em um show de grande importância para nós, que foi o show de abertura para a Cachorro Grande no Ventuno Pub, fizemos questão de não tocar nenhum cover, apenas nossas composições.
É opinião comum de todos na banda, musica autoral vem sempre antes de música cover.

10-O que acham da CENA em nossa região?
R: A cena na nossa região tem todo o potencial pra ser uma das cenas mais fodas do nosso país, mas, em nossa concepção tem um fator que faz com que isso não seja realidade: as pessoas. Assim como em todo o curso da humanidade, as pessoas tem o poder de destruir algo bom e positivo que é criado, e a cena na nossa região não é diferente.

-"Uma banda nova surgiu? Legal, vamos tocar pedras neles ao invés de apoiar!".

 Muitas vezes me parece que esse é o pensamento das pessoas e até das demais bandas  de nossa região, infelizmente no cenário atual, são poucas as bandas que fazem as coisas na parceria apenas pelo prazer de fazer um som(sem rótulos, sem marcas) e acabam optando  em fazer um som que tenha 'status' na galerinha. 

11-Os integrantes além da banda tem quais outras profissões?
R: Além da banda, nosso baterista(André ) trabalha como técnico em eletromecânica no grupo Copobras(São Ludgero) e também como proprietário e produtor musical no Estúdio Paranoid's. Nosso baixista e vocalista, Felipe, trabalha no grupo RBS e cursa Jornalismo na SATC.
O Eduardo, guitarrista, é formado em Sistemas de Informação e trabalha como docente no SENAI/SC Criciúma, e nossa mais nova aquisição, Rômulo Canever, é estudante de engenharia civil na UNISUL.

12-Algum projeto novo para esse ano?
R: No 1º semestre de 2014 iremos iniciar a gravação de algumas músicas e iremos divulgar elas sem ep, sem nada, apenas para ir divulgando mais alguns sons novos que estamos criando e estamos fechando algumas parcerias com selos e produtoras de shows pra fechar uns shows pelo nosso estado e uns shows interestaduais também, no 2º semestre.

13-Deixem um recado ai pra galera...
R: Cara, a gente queria agradecer de verdade a oportunidade de realizar essa entrevista, valeu mesmo Guigo Romagna pela oportunidade, são iniciativas como essa do Urussanga Rock Music que reforçam ainda mais a opinião de que o Sul de Santa Catarina pode e tem como fazer uma cena de rock fudida pra caralho!

No mais, desejamos sucesso com o blog e bora fazer som, seja lá de que tipo ele for.... "Os cães ladram, mas a caravana não pode parar!"






← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário