terça-feira, 14 de junho de 2016

Entrevista com a Silent Empire


01- Sabemos que a Cena criciumense se manteve muito forte no Metal no final dos anos 90 e início dos anos 2000, com o Steel Festival, Great Steal Festival e muitas bandas de qualidade como Posthumous, Forest Of Demons, Dimolasyus, Nekrós, Malice Garden, entre outras.  Atualmente os eventos pouco a pouco estão retornando, e algumas bandas voltando a ativa. Qual é a expectativa da banda Silent Empire para o futuro da Cena Criciumense?

 Ivan - Sobre a cena de shows, Criciúma foi referência nos anos 2000 através do Steel Festival, do qual sou um dos mentores, e fizemos muitas coisas positivas, trazendo bandas de todos os níveis e estilos dentro do Heavy Metal. Sobre as bandas, muitas se formaram e outras tantas encerraram atividades, mas bandas como Forest of Demons, Malice Garden, Warmagedoom por exemplo, tiveram papel fundamental na fortificação da cena, bem como atualmente meu foco total e principal é com a Silent Empire, com a qual estamos conquistando espaço em shows e festivais, pois nosso foco é crescer, trabalhar sério e forte, sem se importar com oque acontece ao nosso redor. A banda esta acertada e com metas de gravar nosso álbum completo até janeiro, já tendo acertado com 4 selos o lançamento e distribuição em todo Brasil e parte das Americas Latina  e  Central. A cena de Criciuma outrora foi forte, hoje esta numa fase ruim, sem muitas expectativas.


02- O recesso entre 2012 e 2013 ocorreu devido à qual motivo?

Ivan - Esse recesso teve como principal motivo, a falta de integrantes dos quais eu julgo necessários para estarem ao meu lado na Silent Empire, não basta saber tocar ou simplesmente ter um instrumento, precisa o mesmo objetivo que Eu, não tenho tempo para brincar de banda ou ensaiar quando “der tempo”, pra mim esse desleixo não funciona. Então em quando os antigos integrantes saíram por motivos simples de mudanças de cidade(amigável esse desligamento que se diga de passagem), fiquei procurando por novos integrantes, e em 2013, o Israel veio me procurar, e deste momento em diante, a banda voltou á ativa, no inicio como Duo, depois Power Trio e agora em Quarteto.


03- Qual é a história por trás da criação do nome Silent Empire?

Ivan - Muitos julgam ser de uma musica do Vader, mas eu sequer me lembrei dessa musica ao nomear a banda. Mas sim porque somos uma legião de Headbangers e bandas, que lutamos e disseminamos por liberdade, por tanto, somos um Império forte, mas agimos de forma ininterrupta, inteligente e silenciosa, surgindo o nome Silent Empire.


04- As letras têm sua abordagem antirreligiosa e com uma forte crítica social. Como que se sucedeu o processo de composição das músicas e criação do instrumental?

Ivan – A parte instrumental normalmente surge comigo, criando riffs, e depois juntamos minhas ideias nos ensaios, e com as jams vamos criando as musicas. As letras remetam a liberdade, individualismo(sem egoísmo) do homem, sobre fatos históricos, e temas que colocam o Homem como centro do Universo.


05- Quais são as maiores dificuldades da banda?

Dificuldades em uma banda de Heavy Metal são muitas, obviamente todo investimento e conquistas, são por méritos dos próprios integrantes. Correr atrás de shows, melhores condições de divulgação, profissionalizar todos os eventos, podem ser descritas como dificuldades enfrentadas por quase todas as bandas do estilo. Mas toda conquista almejada, vem com metas de sobrepor a anterior, e nisso a Silent Empire vem se destacando, pois problemas já são praxe, então quem esta nessa por moda ou amizades, não dura muito.


06- Nestes 5 anos, como vocês avaliam o crescimento da Silent Empire?

Nestes anos de atividades, tivemos grandes dificuldades e muitas conquistas, e são delas que sempre gosto de falar. A gravação do nosso EP, foi um grande passo, pois o objetivo de ter um profissional de gabarito(Sebastian Carsin) foi traçado quase antes de eu criar a banda, então já era quase como uma ideia fixa. Depois de lançar o material, ter convites para tocar em eventos de renome nos remete a novas conquistas, e ainda tem muito por vir, como shows de divulgação, que seguem até o final de 2016, dividindo palco com outras bandas de renome e que batalham forte, e estar em palcos consagrados de nosso Underground(combalido, mas que segue). Todo mérito vem de nossa gana e vontade de se manter em evidencia, sem fugir de nossa ideologia como banda de Death Metal, sem precisar sucumbir.


07- O Ep “Hail The Legions” foi elaborado para maior difusão do trabalho do grupo. E fora gravado no estúdio Hurricane, um estúdio que já produziu material para muitas bandas de Metal Pesado. Mas há algum projeto em mente para um álbum completo e se novamente será gravado no mesmo estúdio?

O EP, como tu mesmo citou, foi de grande importância na conquista de mais espaço e shows, além de ter como divulgar de forma física(e neste aspecto faço questão de ter material físico, pois assim como Eu, ainda existem bangers que colecionam EP, Splits, CDs e Lps de forma genuína). A previsão como citei anteriormente, é entrar em estúdio no inicio de 2017, para lançamento do álbum completo(que já esta com quase todo Track List composto), com os selos que irão lançar já acertados, com a arte da capa sendo idealizada, e terá a mesma equipe técnica trabalhando junto novamente. E inclusive já temos até 3 festivais acertados para lançamento do álbum, pois nós trabalhamos antecipadamente neste aspecto de shows.


08- E vocês estão com ideia para a elaboração de um videoclipe?

A ideia de ter um clip surgiu nos ensaios, e será feito nos próximos dias, pois essa ferramenta se tornou essencial novamente na divulgação, quase igual à ter material lançado.


 09- Citem influências internacionais, nacionais e regionais.

As influências gerais da banda vem de bandas de Death Metal, Thrash Metal e algo de Heavy Metal tradicional, difícil citar nomes, pois cada integrante possui uma influência em particular, mas bandas como Death, Sarcofago, Slayer, Sodom, Kreator, Motorhead, e outros, são nomes comuns entre todos nós.


10- A agenda da banda:

Próximo show será em Ascurra no III Overground Roots no dia 18/06, depois temos o um show em São José dia 09/07, logo em seguida 16/07 em Araranguá(Araras Metal Fest), 12/09 com a Khrophus em Florianópolis, Outubro estaremos em Pomerode e outro no RS, bem como em novembro em Porto Alegre e São Francisco do Sul, dezembro estaremos num novo festival em Rio Negrinho. Tem outros shows ainda em fase de acertos, mas que estarão sendo definidos nos próximos dias, todos e divulgação do EP “Hail The Legions”.


11- Como é possível solidificar a imagem da banda no meio Underground?

Solidificar o nome é sempre mantendo foco, planejamento e trabalho sério, sem se preocupar com as outras bandas e sem prestar atenção em tretas, e sim na própria banda, tratando todos de forma impar e profissional, mesmo que nem todos pensem desta maneira. O respeito que tratamos nossos parceiros, é unanime, pois estamos acertando diversas parcerias de endorsement (pedais de dirtorção, amplificadores, instrumentos), e os produtores de shows, que tratamos com todo mérito.


12- Contatos do grupo.

Todos na banda, possuem contatos nas redes sociais, como Facebook, Instagram, Whatsapp, e podem ser facilmente adicionado, podem procurar por  Ivan Fábio Agliati, Israel Horstmann, Aline Iladi e Danilo Schwanck, basta nos procurar.


 13- Foi um prazer entrevista-los, todos nós temos que nos unir para fortalecer cada vez mais o rock criciumense. Deixem uma mensagem final para os leitores.

Obrigado pela resenha, e pela entrevista, pois espaços como esses, que você nos possibilita divulgar nossas bandas, nossos materiais e abre espaço para chegada de novos fãs do estilo, pois muitos novos devem e precisam emergir no Heavy Metal.


E vamos apoiar indo em shows, comprando material e divulgando as bandas que estão no seu gosto pessoal, e apoiar as bandas que realizam um trabalho sério e verdadeiro. Obrigado em nome da Silent Empire, e espero ver amigos nos shows.

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário