sábado, 21 de janeiro de 2017

Parceiros do Underground: Entrevista com Luiz Harley Caires (Underground Extremo) Ep01

Hoje faremos a entrevista com um dos maiores divulgadores do metal extremo catarinense, Luiz Harley Caires, professor, frontman na Evil Returns e idealizador do blog Underground Extremo. Na conversa foram explanados assuntos polêmicos e a respeito da carreira e de seus trabalhos referentes à Cena.




01- A primeira pergunta pode-se encará-la como pessoal. Pois quando começaste a ouvir Metal, e antes disso quais foram as influências até chegar ao Metal Extremo?

Harley: Hail irmão! Primeiramente satisfação enorme estar trocando ideia contigo, admiro e acompanho teu trabalho e sei que compartilhamos do mesmo amor pelo Underground e a cena em geral. Respondendo à pergunta, o Metal sempre me foi algo familiar, meu pai ouvia muito AC/DC e Stones Beatles, já minha mãe é a maior fã de Angra que eu conheço, além de Stratovarius, e claro Iron Maiden. Foi com o Slayer e o Sepultura que comecei ir atrás de som mais pesado, aí veio Venom, Cannibal, Krisiun e meu gosto só foi encaminhando para algo mais brutal.

02- Sabemos muito bem que as mídias para o estilo estão escassas no estado. Todavia em contrapartida encontraste uma motivação para poder seguir e trabalhar em prol das hordas, nisso surgiu o Underground Extremo. Tu poderias contar mais a respeito do início do blog?

Harley: Então sempre tive a ideia de fazer algo pela Cena, o metal me propicia momentos únicos de alegria, ir para uma roda, encontrar amigos ou até mesmo ouvir um CD de boas em casa. Comecei a escrever para blogs grandes, e para o Metal Militia, só que nesses blogs que eu citei eu percebi que o interesse era em número de acessos e não ajudar a Cena, então saí disso tudo, comecei do zero e decidi fazer um trabalho autoral. Nisso nasceu o Underground Extremo, a opção pelo Metal Extremo é um gosto pessoal, não quer dizer que não possa aparecer bandas mais leves, mas gosto de escrever na ótica do fã mesmo, então tudo que está lá no Blog é porquê antes de mais nada foi um trabalho que me chamou atenção.

03- Hoje tu representas muito para a cena catarinense pois além de escritor de Metal, tu és frontman numa banda de Death/Black metal que inclusive já fora divulgada aqui na Urussanga Rock Music. Como é lidar com a Evil Returns, e com o blog, há um momento de separação dos papeis, ou prefere mesclar as duas atividades? E a respeito de seu grupo, há algum projeto novo rolando?

Harley: Opa, obrigado pelo elogio irmão. Na verdade, nunca citei nada da Evil no Blog porque ia parecer imparcial demais, imagina que hilário eu elogiar a presença do vocalista em cena, ia ser no mínimo irônico. Na verdade, a Evil é um filho bastardo, ensaiamos a volta muitas vezes, mas só se for com a formação original, então se o guitarrista estiver lendo aqui se liga mané, para o mal retornar só depende de você (risos). Enquanto isso, estou com um projeto que é de levar o Metal para escolas onde nos intervalos vamos fazendo uns sons até um dia se apresentar no colégio, é algo mais levinho rola Metallica, Megadeth, mas estou ensaiando um Cannibal, vamos ver como os pequenos reagem (risos).


04- Nos conhecemos lá naquele show do Plataforma Rock Bar (Excelente pub, típico Underground) e percebi que você tem um conhecimento muito grande em relação a cena extrema catarinense. Dentre as que tocaram, estava a Impiedoso (horda ícone do Black Metal), a The Torment (Raw Black Metal) e a Silent Empire que está em ascensão no Death Metal local, além é claro da clássica Luxuria De Lilith. A respeito disso, visualizando o evento ocorrido, o público presente e as apresentações, realmente foram satisfatórias, ou o público ainda está tímido?

Harley: Sim irmão, grande show sem dúvida. O que falar da Impiedoso e do The Torment? São hordas clássicas da maldita Catarina, O Silent Empire a cada apresentação se supera já perdi a conta de quantas vezes assisti eles ao vivo e sempre me impressiona, e o Luxuria, basta dizer que comprei quase todo merchan da banda, sou fã deles desde o Início das Profanações. O Plataforma é guerreiro cara, a essência do Underground. Prefiro ir lá do que em casas de show que depois toquem Pagode ou Sertanejo. O público cara, é uma questão ambígua, porquê por um lado, são sempre os mesmos guerreiros isso é legal mostra fidelidade. Mas sempre fica além do esperado, não adianta 20 mil confirmarem presença e só 20 aparecerem.

05- Sobre o blog Underground Extremo 666, quais foram as maiores matérias, e mais satisfatórias?

Harley: Bem na verdade eu falo equipe, mas o Underground é editado escrito por mim já tentei formar equipe, mas são poucos que entendem a proposta, então cada texto ou resenha que você encontra lá são motivos de orgulho e satisfação. Quero destacar aqui as bandas que apoiam o trabalho, fico muito feliz de ver bandas do porte de Headhunter DC e Malefactor agradecendo e compartilhando nosso trabalho, quero destacar também a Creptum que foi minha primeira entrevista para o Blog, o que dá um gosto especial.

06- O Metal Catarinense se perpetua como um dos melhores do Brasil. Porém, também já foi maior, com a quantidade de eventos que tinha, open airs, festivais, e bandas consagradas. Muitos grupos estrangeiros já passaram por aqui, podemos listar Kreator, Dark Funeral e Hirax. Nossas hordas ascendendo, e outras emergindo. Até que chegou um momento que os festivais se tornaram escassos e as bandas mal conseguiam manter-se na ativa. Qual sua explicação para o ocorrido? E hoje seria a volta da chama Metal em SC, com o Maniacs Metal, OTA, Fear Fest, Inferno Metal Fest, Overgound Roots, Underbands, entre outros?

Harley: Cara eu vim de São Paulo, lá você encontra show em cada canto e fica quase na miséria se quiser assistir tudo, quando vim morar aqui em SC fiquei feliz de ver uma Cena pequena, mas fiel. Tive a chance de ver essas bandas que você citou, além do maldito Rotting Christ. Estou escrevendo um livro sobre a Cena catarinense, acho que até ano que vem ele deve sair, estou usando a minha tese do mestrado como apoio. Os festivais são aquela coisa, depende da organização, tivemos a vergonheira do Zoombie, mas ao mesmo tempo o Otacílio, Fear, Inferno, estão aí além do Maniacs que tem potencial e o Agosto Negro na figura do Guerreiro Daniel Bala. O único problema é público cara, como eu disse anteriormente, marcar presença no Face é fácil, se você é banger mesmo tem que ir para grade bater cabeça a Cena depende disso.

07- 5 grupos de Metal Catarinense?
Harley: Alkanza, Sodamned, Shadow of Sadness, Luciferiano, Khrorphus, entre tantas outras.

08- 5 grupos de Metal Nacional?

Harley: Headhunter DC, Symphony Draconis, Amazarack, Em Ruínas, Nervochaos e Patria.

       09- 5 grupos de Metal internacional?

Harley: Vou indicar bandas que venho ouvindo recentemente (não que não curta os medalhões como Death, Judas, Iron, Etc...) Chaoslace, Bessat, Eutanos, Obscura, War.

10- Atualmente há uma maior participação do cristianismo na política, mesmo com o estado se mantendo laico. Como o Black Metal sempre teve origem antirreligiosa, e prega em suas letras misantropia, erotismo, liberdade, e respeito a todas as classes, gêneros e orientação sexual, contudo muitos fãs e adaptadores do estilo carregam apoio a fascistas e pessoas como Marco Feliciano e Jair Bolsonaro. Qual sua opinião a respeito disso?

Harley: Como professor de História, é cada coisa que a gente lê na internet e ouve de amigos que até assusta cara, Intervenção militar, tão de brincadeira né? Nosso país não tem direita nem esquerda, tem panelas voltadas para os próprios interesses e o povo que se exploda.
Na cena Metal, enfatizo meu total apoio ao Violator, esse estilo, liberdade, e gritar contra as correntes e modinhas. Cada um tem o direito de ser o que quiser, mas antes de sair apoiando alguém, vai ver o que ele diz nas entrelinhas. Por exemplo, eu sou ateu e acho ridículo um país laico ter bancada evangélica, mas essa é minha opinião, as pessoas podem concordar ou discordar, agora usar isso para separar um estilo que já não é unido, aí é foda. 

11- Como se sucedeu a escolha para as melhores bandas do ano?

Harley: Muita pesquisa irmão, fiz uma lista com mais de 20 lançamento de cada estilo e ouvi muitas vezes até chegar naqueles que dei um destaque especial, foi muito difícil faltou bandas como Cemitério e Ancestral, mas que em breve aparecem no Blog.
O mais legal foi a participação do Cristiano do Os Capial, que me deu uma lista enorme de banda de Grind para eu poder conhecer mais a fundo o estilo. Deu uma puta dor de cabeça selecionar tudo, mas o resultado foi positivo demais.

12-  Novos projetos e matérias para o blog?

Harley: Sim muitas, minha ideia é aumentar a rotatividade do Blog divulgando pelo menos 3 textos por semana, como disse é um trabalho de um Homem só então às vezes fica corrido, mas vamos na luta. Em 2017 tenho o plano de fazer cobertura de todos os grandes festivais catarinenses, tirando grana do bolso mesmo, não peço entrada. Sou um banger como todos os outros, então faço questão de pagar, Otacílio, Inferno, Maniacs... estaremos lá. Além disso, estou com planos de fechar parcerias agora que estou na equipe da Black Legion Produções, é uma porta que se abre. Além disso pretendo gravar podcasts com parcerias de outros Blogs e bandas, abrir espaço para o Hardcore e Metal na américa do Sul, sempre o Underground é logico, enfim muitos planos que vamos colocar em prática.

13-  Seu trabalho com certeza é muito importante para toda a cena nacional. Sou um leitor e divulgador assíduo pois a qualidade é demonstrada pelos mais de 10.000 visitantes. As matérias escritas de maneira imparcial, correta e conteudista. A Urussanga Rock Music tem o maior orgulho de entrevista-lo e será o começo de uma grande parceria, onde quem ganha é o Metal e nós todos. Se puderes deixar um recado para os leitores do Blog.

Harley: Mais uma vez agradeço as palavras, devo confessar que quando me deu a ideia de montar o U.E o Urussanga Rock e O Subsolo são os sites que mais me inspirei, acredito que tudo que fizermos é por amor à Cena, ninguém quer se promover e sim fortalecer o estilo. Meu recado para os leitores é obrigado para quem curtiu o trabalho, a página e quem ainda não conhece dá uma passada lá, estamos abertos a criticas e sugestões e se esbarramos por aí para tomar uma gelada e cair no stage diving, força Extrema. Hail Urussanga Rock! 

As mídias sociais estão abaixo:

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

DEIXE SEU LIKE

ESTATÍSTICAS