segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Tourette- Out Of Control (Resenha)


Out Of Control é o primeiro trabalho da paulistana Tourette, o full length fora divulgado em julho de 2014. O álbum possui 10 faixas, com destaque para “Liar”, que ganhou em novembro de 2015 um clipe. O mesmo já alcançou 1400 visualizações. 



A faixa de abertura do álbum, “Fireball”, inicia-se de forma cadenciada e segue com uma sonoridade sóbria que atua lado a lado com o ritmo cativante marcado por um vocal rígido, o qual marca a identidade da banda. A temática da letra está relacionada a fragilidade, e os limites da dor humana, incorporando uma ode a cada batalha particular.

“Voices”, a segunda faixa, possui uma sonoridade densa que condiz com a letra. Esta apresenta um teor carregado de contrições provenientes da angústia, como por exemplo na frase “The Ghosts From The Past Are Voices In Your Mind” (“Os fantasmas do passado são vozes em sua mente”), trecho do qual provém o título da música. O instrumental se destaca por atingir seu ápice após as duas primeiras estrofes e manter um ritmo cativante combinado com a letra forte.

A faixa “Breath” possui apenas 42 segundos, e em meio a sonoridade melancólica proporcionada pelo piano produz uma atmosfera que cria uma harmonia com a letra, que de modo sucinto trata de dilemas existenciais.

“Another Day”, quarta faixa do álbum, varia entre o ritmo calmo presente em boa parte da música, que contrasta com o refrão marcado por vocais mais agressivos, que atingem seu apogeu nas últimas estrofes da música com a marcante frase “Sing My Song Seeing The Life Fade Away. I Don’t Want To See Another Day” (“Cante minha música vendo a vida desaparecer. Eu não quero ver outro dia”), de modo geral a letra trata da aceitação da própria dor. Ao fim, a canção retorna a seu ritmo calmo, o que encerra Another Day com demasiado equilíbrio.

“The Withdrawal Valley” é uma faixa de 48 segundos que traz uma melodia soturna seguida de versos proferidos por uma voz feminina que clama para que não seja abandonada.

A sexta faixa, denominada “Liar”, inicia-se de forma eletrizante que faz com que o ouvinte se atraia pela música, esta segue com uma sonoridade sóbria variando com a profundidade da letra. A canção traz em sua temática uma história lúgubre que evoca a mitologia grega ao falar de Kerberos, um cão de três cabeças que guardava o submundo dos mortos.

“Prisoner”, a sétima faixa, é com certeza a mais calma entre as 10 músicas que constituem o álbum. Esta possui um vocal suave que casa com a melodia lenta, composta prioritariamente pelo violão. A letra gira acerca das mazelas provocadas pelo amor, tal mote combinado com a serenidade da canção, criando uma atmosfera melancólica e poética que percorre os três minutos de música.


De volta aos sons de guitarra, “Reason” marca a oitava faixa, esta traz consigo o som característico da Tourette. Trazendo conteúdos acerca de questões existenciais levantadas por decepções, Reason mostra a identidade do grupo, que se afirma com suas canções relacionadas a melancolia e sentimentos herméticos. A sonoridade desta faixa é estruturada no refrão, onde é marcante o vocal combinado com a disposição instrumental.

Overshadowed, penúltima faixa do disco, é introduzida com o baixo sobreposto a leitura do trecho ”Obsessed With The Exercise Of Power” (“Obcecado com o exercício do poder”). O decorrer da música é sinalado pelos vocal rígido e instrumental encorpado, o que dá um tom firme a música que se desenrola através de temáticas relacionadas a índole humana.

Tourette encerra o álbum Out Of Control, o título da canção faz menção a doença homônima que é caracterizada pela repetição de determinados movimentos. Tal fenômeno é pouco conhecido no Brasil, o que contrasta com o número de casos que vêm emergindo. A canção retrata sintomas típicos de tal mal, que acaba afetando relações pessoais. O vocal é cru e o instrumental segue uma linha contínua, alternando entre agressividade e técnica.




Por conseguinte, deve-se ater as características propostas nas composições, onde se destaca o vocal forte, uma musicalidade bem trabalhada e letras intensas. Vale ressaltar ainda que o trabalho contou com a produção de Wagner Bernardes juntamente a própria banda e foi gravado e mixado no Estúdio Espaço Som, em São Paulo.

As plataformas virtuais estão abaixo:


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário