segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Somberland: "Pest'Ology" (2017)

Após o lançamento do EP “Dark Silence Of Death” em 2016, a banda de Black Metal Somberland divulga seu primeiro álbum, intitulado “Pest’Ology”. Há dois anos na estrada, a banda já marcou presença em festivais como Otacílio Rock Festival e Frai'n Hell Rock Festival. O full-length, produzido, masterizado e mixado por Orland Junior possui nove faixas, as quais foram resenhadas individualmente pela Urussanga Rock Music!



A faixa de abertura do álbum é a que dá nome ao mesmo. Contando com uma introdução densa somada com os guturais de E. Nargoth, a homônima “Pest’Ology”Trata dos malefícios propagados pelos dogmas cristãos que contaminam a raça humana como uma espécie de praga que se alastra na Terra.

Seguindo a temática anticristã, a segunda faixa é intitulada “Here Has No Place For God” (Aqui Não Há Lugar Para Deus). A música traz à tona questionamentos sobre as ilusões vendidas pelas religiões, se opondo às doutrinações divinas. O instrumental conta com riffs cadenciosos que dão um tom característico a canção.

“Fallen Angel”, a terceira faixa, trata simbolicamente do retorno do “anjo caído” para que este possa conquistar o mundo. A sonoridade obscura prevalece na canção, que conta com uma premissa lenta, trazendo um tom fúnebre e sólido para faixa.

A quarta faixa do álbum, intitulada de “Forever Dark Wood”, descreve de forma poética o misticismo presente no cenário belo e sombrio da noite que envolve os bosques. Dessa forma, mescla de forma harmoniosa o conteúdo profundo com a sonoridade pesada e rítmica da faixa, a qual é um dos trabalhos mais reconhecidos da Somberland.

A quinta faixa “Dark Silence Of Death” é catastrófica, nela é possível remeter a muitas bandas europeias do final dos anos 90. O instrumental coeso, sólido e brutal toma corpo durante toda a composição enquanto a letra aborda as questões ligadas a hipocrisia religiosa e exibe o fim de maneira analítica, todo o lado escuro, gélido e negro da morte.

“Wrath Of The Tyrant” traz batalhas ao fronte da Somberland. E.Nargoth em seus vômitos blasfemos nos vocais transpassa berros rígidos roucos complementados aos riffs bem trabalhados e técnicos de DMortest. A canção exibe de uma forma explícita todo ódio e ira do tirano que atormenta os sonhos sangrentos de seus adversários.  

De uma melodia surreal, sonoridade incomum e gritos destrutivos, a “Into The Front”, música que esteve no último Ep e que ganhara um videoclipe, é a sétima faixa do disco. Há nela características em comum com o Marduk, toda a sequência de riffs e a composição que remete ao saldo trágico de uma guerra.

Conhecer a faixa “Sadistic Instincts Arise” e não se surpreender com seu início é impossível. O começo é bem plausível a obter questionamentos ao desenrolar da mesma já que possui uma sonoridade diferente com os vinte segundos de baquetadas de W.A.G. A partir daí o caos reina e os luxuriantes versos dela expõem uma atmosfera sádica que perambula nos sentimentos mais pútridos de cada um.


Baladinha? A última faixa “...When Future No Matter” é apenas mais cadenciada perante as outras. Nela o instrumental se encontra em profundas alternações já que se intensifica com os berros de E.Nargoth onde reproduz uma temática relacionada ao fim e ao significado da jornada depois de momentos subversivos e escuros remetidos a peste.  

Plataformas Virtuais:

Loja Virtual da Heavy Metal Rock: https://hmrock.com.br/

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

DEIXE SEU LIKE

ESTATÍSTICAS