quinta-feira, 1 de março de 2018

Tigersharks: Os Predadores do Skate Punk

A banda porto-alegrenses Tigersharks teve início em 2016, porém desde 2014 os músicos se reuniam no antigo estúdio Gorila para jams e alguns ensaios sem compromisso. Inicialmente uniram-se com a formação de Rodrigo Neves (vocal), Leonardo (Bateria), Francisco Kiko (Guitarra) e Filipi (Baixo), o que logo se alterou para um power trio. Logo na estreia, o grupo dividiu o palco com bandas expoentes do underground como Corona Kings (SP) e Motor City Madness (RS).



A cognominação Tigersharks possui referência cinematográfica, sendo baseado em uma cena do clássico filme de Spielberg “Tubarão”, na qual o animal é capturado e o oceanógrafo o denomina como “tigershark” (ou tubarão-tigre). O nome que une esses grandes predadores acabou sendo adotado pelo grupo, que utiliza as cores preto, branco e laranja como alusão ao tigre.

A banda, que define seu som como Stoner Skate Punk, possui como principais influências grandes nomes como: Trash Talk, Black Flag, Bad Brains, OFF! Fu Manchu, Sleep, Black Sabbath. Em relação às composições, o grupo gaúcho traz consigo skate e experiências, todos os problemas, empecilhos e perrengues que acontece no cotidiano. Ou seja, por serem motivados a escrever sobre o dia-a-dia, os músicos expõem os incidentes ocorridos com pessoas próximas e seus respectivos acontecimentos sendo representados através de situações incomuns. Entretanto, também há questões históricas e sociais.

Em 2017 a Tigersharks divulgou seu primeiro material, o Ep “Swim Fast, Die Slow” (uma referência aos predadores marítimos) que foi gravado no Music Box Studios, masterizado e mixado por Alexandre Birck. O material conta com cinco canções, sendo elas, “Menace To Society”, “Budd Dwyer Tribute Song”, “Warthog Attack”, “Wrath of The Khan” e “Wasted Days”.


Para os novos projetos e trabalhos, os músicos pretendem disponibilizar as músicas para plataformas de streaming e ramificações, além de registrar a gravação e difusão do Ep “Red Garage Studios” que será produzido por Andrez Machado e irá obter as faixas, “Linger”, “Fuck Life”, “Shortboard Or Die”, entre outras. O grupo visa o lançamento de um vídeo e um single para a segunda demo, além de uma compilação com algumas músicas ao vivo de 2017.

Referente ao videoclipe, os gaúchos ainda não divulgaram. Porém, nesse ano sairá o primeiro vídeo, da música “Budd Dwyer Tribute Song”. Ele será difundido com um caráter mais político no momento das eleições presidenciais.

A banda tem um recado:
“O nosso muito, muito obrigado para quem sempre está apoiando os sons e essa movimentação! É muito importante e gratificante ver o pessoal compartilhando e curtindo os sons. Tivemos uma repercussão bem legal com elogios e mensagens de lugares bem distantes. Tudo isso impulsionou a gente e esse ano vai ser bem corrido com o novo disco e lançamentos. Queremos tocar ao máximo em todos os locais que chamarem e atender aos convites! ”

Formação Atual:
Rodrigo Neves- (Vocais/Guitarra)
Filipi Barbosa- (Baixo/Vocais)
Leonardo Schmitt- (Bateria/Vocais)

Agenda:
O grupo está aberto para shows e estão em contato com algumas casas do RS e de SC, além de estar programando uma turnê com duas bandas de Florianópolis – SC. O vocalista da banda recentemente esteve em São Paulo e estão negociando lugares para se apresentar na capital paulista.

Plataformas Virtuais:
YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCtdbvsBB5ZqT5kI6NbMIOzA
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

DEIXE SEU LIKE

ESTATÍSTICAS