quinta-feira, 26 de julho de 2018

Overdrive Saravá: Música, Arte e Brasilidades

Em 2012 munidos pelo interesse em fazer algo diferente, três amigos, Thiago Renud (Guitarra), Lucas Botti (Guitarra) e Gregory Combat (Vocal) se reuniram em uma mesa de bar em Niterói - RJ e juntos desenvolveram o projeto Overdrive Saravá. O escopo primordial era uma discussão sobre qual temática ou ideia a colocar em prática, algo para sair do clichê. A partir disso foram ressaltadas questões como linguagem artística dando enfoque à artes visuais, teatro e dança.



As influências musicais do grupo são vastas e um tanto quanto distintas, indo de artistas como Metá Metá, Bixiga 70, Cordel do Fogo Encantado, Elza Soares, Nação Zumbi, Jorge Bem Jor, Gilberto Gil, Lenine, Caetano Veloso, Chico César, Tom Zé, Mutantes até Queens Of The Stone Age, Radiohead e Nine Inch Nails.

A cognominação da banda se deu da união e da tentativa de criar algo que fosse identitário para os músicos. Os membros traziam fortes características do Rock n’ Roll e isso fomentou a ideia de estudar mais sobre a música popular brasileira. Como cita o vocalista Gregory, “Veio a ideia de somatizar 'Overdrive' de distorção com 'Saravá', uma saudação como poderia ser interpretado principalmente dentro de religiões de matriz africana. ”

As composições do grupo exibem muito dos pensamentos sociais entre os integrantes, ou seja, essa característica ganha cada vez mais força através de letras que manifestam a indagação, o questionamento e o interesse.

Em 2016, a banda divulgou o álbum homônimo “Overdrive Saravá” contendo oito faixas, “Anunciação”, “Guerreiro do Cerrado”, “Atabaques e D’jembes”, “666 Noite”, “De Repente”, “Mandacaru”, “Ressuscita Pataxó” e “A Vista do Vidigal”. No material destacam-se a pluralidade rítmica de estilos como o Baião, Xote, Funk e consequentemente Rock n' Roll. 




No quesito audiovisual a banda se destaca pela originalidade, o que fica evidente nos dois clipes lançados pelos músicos. O primeiro trabalho foi o vídeo do single “Atabaques e D'jembes” divulgado em 2016, o qual trata de temas como os papeis de gênero, bem como desigualdade social.




No ano passado o grupo difundiu o clipe de “Ressuscita Pataxó”, que compila uma série de performances que chocam e provocam curiosidade no telespectador.




A banda já marcou presença em festivais cariocas, como Tollosa, Rio Novo Rock e Grito Rock. Também estão agendados shows no Festival #LULALIVRE (28 de julho, Lapa – RJ), e no pub Rock’n’Beer (05 de agosto, São Gonçalo – RJ)

Atualmente os músicos estão em processo de composição, visando a elaboração de um futuro material novo que possui lançamento previsto ainda para esse ano.

Os músicos deixaram um recado para os leitores da URM: 
“A cidade de vocês tem bandas e artistas incríveis, permitam-se conhecê-los. Valorizem sua cena local, valorizem os meios de comunicação independente por onde circulam também. É muito penoso em tempos tão avessos continuar acreditando e fazendo o que acreditamos, tem muita verdade nisso tudo. Juntos somos mais fortes que qualquer contravento e ainda mais capazes de transformar meios e com toda ambição possível, a forma de pensar e consumir o que entendemos como arte e suas possíveis linguagens. “

A Overdrive Saravá é:
Gregory Combat (Voz/Percussão)
Thiago Henud (Guitarra)
Matheus Freire (Baixo)
Caio Campos (Bateria)

Plataformas virtuais:
Instagram: @overdrivesaravá

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

DEIXE SEU LIKE

ESTATÍSTICAS