segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Turba Iracunda: A Resistência Antifascista Latino-Americana

Em setembro a Urussanga Rock Music esteve cobrindo o River Rock Festival e conhecemos a banda Turba Iracunda de Buenos Aires- ARG.


Os músicos estão na ativa há mais de 14 anos e trazem consigo a chama do HC/Metal de protesto, quebrando os pilares da burguesia. Inclusive os músicos na entrevista abaixo respondida por Cepe, nos contaram um pouco sobre a revolução latino-americana, a situação política atual no continente e sobre a sensação de tocar em um dos maiores festivais do Brasil. 


Primeiramente muito obrigado pela entrevista. Como foi o surgimento da banda?Turba Iracunda: Olá, a banda começou há quase 15 anos. O guitarrista Gedy tinha sido parte juntamente com Igal de uma banda de Hardcore (Confusão Mental) no início dos anos 90, quando este movimento surgiu aqui na Argentina. Com o fim da banda, Gedy, Oscar e Cepe iniciaram um novo projeto com Igal na bateria, Tincho na guitarra e um baixista. Nasce a Turba Iracunda.

Quais foram as principais influências musicais?
Turba Iracunda: A variedade de gostos musicais dentro da banda é vasta como Punk, Heavy Metal e Hardcore influenciado por bandas como Rage Against the Machine, Sepultura, The Exploited, Suicidal Tendencies, Madball, La Polla Records, The Ramones e muitos outros.

E sobre os discos. Quantos e quais trabalhos vocês já divulgaram nesses 14 anos de trajetória?
Turba Iracunda: Nós lançamos um álbum “Desde El Fondo Del Basurero”, dois Eps “Tu Eres La Antorcha” e “Canciones Para Oprimidos”, esse último em distribuição no Brasil. O grupo também participou de algumas compilações.

Em setembro, vocês tocaram no River Rock Festival em Indaial. Qual o feedback de vocês sobre o evento? Na Argentina, os festivais são semelhantes com o nosso?
Turba Iracunda: A verdade é que encontramos excelentes pessoas, como uma grande família. Além dos irmãos que fizeram a nossa participação, os organizadores do festival e as pessoas que estavam presentes nos trataram muito bem. Para nós foi uma experiência inesquecível, infelizmente na Argentina não acontece esse tipo de festival.

E falando no Brasil. Hoje em nosso país há uma ascensão do fascismo na política, militares surgem para pregar os pilares da extrema direita. E recentemente vocês passaram pelo mesmo problema na Argentina. De acordo com as composições que vocês possuem e pela ideologia que pregam, qual a opinião sobre essa ascensão do conservadorismo na América do Sul?
Turba Iracunda: Estamos muito mal, a Direita avançou na América Latina oprimindo a todos os povos, manipulando meios para seu interesse, reprimindo os protestos e censurando as pessoas que pensam diferente. Além disso estão fechando centros e espaços culturais e para nós resta ser a resistência e lutar contra isso novamente.

Pela proximidade geográfica entre os dois países, vocês acreditam que ainda há uma barreira de difusão de bandas entre Brasil e Argentina?
Turba Iracunda: Totalmente, ambos os países estão perdendo bandas excelentes. No entanto, isso nós podemos mudar ao convidar bandas brasileiras a tocar na Argentina e vice-versa.

Quais os novos projetos do grupo? Há algum material sendo desenvolvido?
Turba Iracunda: No momento estamos finalizando o nosso segundo disco, com 14 músicas em nosso estilo, a essência do furioso Hardcore Punk de protesto.

Formação Atual.
Turba Iracunda: A formação conta com Igal (Bateria), Jota (Baixo), Gedy e Tincho (Guitarras), Oscar e Cepe (Vocais).

Plataformas Virtuais.

Em nome da Urussanga Rock Music, agradeço a disponibilidade para a entrevista. Se puder, deixe um recado para quem nos acompanha.
Turba Iracunda: Eternamente grato a todos os irmãos que tornaram a viagem em terras brasileiras possível, fortalecemos o laço com eles e conhecemos pessoas excelentes. Devemos mencionar as seguintes bandas parceiras: F.A.R.P.A, Homem Lixo e Chute no Rim, que fizeram isso acontecer. Também agradecemos imensamente a Urussanga Rock Music pela entrevista.


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário