sexta-feira, 2 de novembro de 2018

Fatal Encarnad: Em Terra de Festival, o Death Metal é a Lei


Com certeza o River Rock Festival foi berço de grandes bandas e impulsionador de muitas outras. A Fatal Encarnad de Indaial é uma dessa que em quase 10 anos de história explicita a chama do Metal Extremo.


O vocalista Marcelo nos concedeu uma entrevista e contou um pouco sobre a sua trajetória, sobre o futuro do metal catarinense, sobre a ascensão do conservadorismo e os novos projetos do grupo do Vale de SC.

Créditos: Perfil da Banda no Facebook


Primeiramente obrigado pela entrevista. A Fatal Encarnad propõe um Death metal cru e sólido. Através de bandas como o Vader, Sarcófago, Entombed, Sodom, Cannibal Corpse, Deicide como influência. De que forma vocês incorporam isso nas composições?
Marcelo: Um olá para todos! Sou Marcelo, baixista e vocal da Fatal Encarnad.
Temos uma forma própria de som, mas usamos mais como referência essas bandas, para se manter na mesma linha, já que é o tipo de música que gostamos de ouvir e tentamos passar o que gostamos em nossas músicas, mas de uma maneira nossa de tocar e compor.

Atualmente a banda possui dez anos de estrada e no ano passado difundiu o EP “Carnage Of War”. Como foi o procedimento de desenvolvimento do trabalho e se havia alguma canção dos primórdios do grupo presente no Ep?
 Marcelo: As músicas foram compostas no decorrer do tempo, algumas mais atuais outras mais do início. Queríamos ter gravado já há algum tempo mais houveram algumas mudanças na banda e tivemos que esperar o momento certo para gravar. Na gravação tentamos passar o máximo que podemos do Death Metal que sabemos fazer e também deixar com qualidade para que fosse um material bom de se ouvir e curtir.

Recentemente a banda se apresentou no River Rock Festival, evento protagonizado na cidade de Indaial- SC, onde vocês são originários. Pela proximidade com o fest, qual a análise sobre a edição desse ano e consequentemente qual sensação de dividir o palco com bandas como Sepultura e ReyToro?
 Marcelo: O River Rock Festival sempre teve edições muito boas, mas esse ano foi um novo passo para o festival com estrutura própria e um ambiente muito bom para curtir as bandas, na minha opinião um dos melhores que já fizeram e acredito que vai crescer cada vez mais. Os organizadores estão de parabéns!   Foi uma honra participar e dividir o palco não só com esses nomes, mas com todas as bandas que tocaram.

Ainda sobre o cenário independente, como vocês enxergam o Metal Catarinense atual? Quais as principais dificuldades enfrentadas?
 Marcelo: Em Santa Catarina atualmente temos ótimas bandas, sempre segue forte. Mas as maiores dificuldades são poucos shows e eventos.Temos ótimos festivais, mas pouca casa de show reservado para o metal, e quando tem vai pouca gente.

Vocês disponibilizaram um webclipe da música “Genocide Mass” que contêm cenas de guerras e conflitos. Hoje nós vivemos uma situação totalmente indelicada, onde há políticos que pregam valores e morais cristãs e ameaçam a democracia. Essa música é um petardo direto nos ouvidos de quem ouve. Como vocês enfatizam essa crescente ascensão do movimento cristão-conservadorismo?
Marcelo: Bom, fui vítima do conservadorismo, o Webclip foi interessante que logo que postei alguém me denunciou e foi bloqueado no YouTube por algum tempo por excitar a violência sendo que no real apenas mostramos a verdade das guerras e conflitos, a verdadeira face humana. Mas postei na página da banda, até bloquearem está lá e logo vou tentar postar no YouTube novamente, assim que desbloquearem minha conta ou postarei em outra conta.

Sou contra qualquer movimento que repreenda a liberdade de escolha, coisa que qualquer pessoa que conhece um pouco da história humana vai saber que nosso bem mais precioso é a liberdade. Os próprios conservadores serão vítimas do que eles mesmos defendem quando tiverem uma opinião diferente das maiorias.

Atualmente, há produção de algum material novo para a difusão?
Marcelo: Estamos compondo, assim que puder iniciaremos as gravações, mas no momento estamos vendo como vai ser, porque o Gabriel que era nosso baterista provavelmente não vai seguir com a banda, está com compromissos e estudando, se aparecer algum show importante ele até faz a batera por enquanto, mas provavelmente teremos que achar um outro batera.

Formação Atual.
Marcelo (Baixo e Vocal)
Marlon (Guitarras)

Plataformas Virtuais.
Marcelo: Temos músicas no YouTube, na minha página Marcelo Leatherface e na da banda. Logo estará à disposição no Spotify ,Deezer, Google Play, Soudcloud entre outros, só estou esperando o prazo de liberação que essas plataformas dão para liberar aí divulgarei nas mídias sociais.

Em nome da Urussanga Rock Music, agradeço a disponibilidade da entrevista de vocês. Se puderem, deixem um recado para quem nos acompanha.
Marcelo: Quero agradecer a equipe da Urussanga Rock Music pela atenção com a banda, e a todos que seguem a Urussanga,,. continuem assim, vejam as publicações, comente e divulguem por que são essas mídias que fazem a diferença, são elas que dão ênfase as bandas e ajudando a conhecer um pouco delas, essas mídias que ajudam a divulgar os festivais e fortalecer a cena. Abraço a todos “Death Metal Rules!”


← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário