quinta-feira, 4 de abril de 2019

Rhestus: Banda chega ao fim, mas o legado continua

O grupo catarinense Rhestus divulgou na última sexta-feira (29), uma notícia que abalou as estruturas do Metal Catarinense e do cenário do underground nacional, o grupo em suas redes sociais, veio por nota divulgar o término das suas atividades.

Foto 1: Facebook da banda
Por 26 anos, SC cantou seus clássicos, “Bullet In Point”, “Games Of Joy, Games At War”, “Insane War”, “Hate, Is What I Feel”, “Eternal Sorrow”, “Paying With The Life”, que carinhosamente a banda Balboa’s Punch fez um videoclipe do tributo ou quaisquer outras canções que marcaram a ingressão dos headbangers no status de ícone do estilo.

As apresentações recheadas de manifestações artísticas, os riffs pesados, as turnês e festivais que estiveram presentes, além do carisma dos membros, hoje dá lugar a saudade. Diante de um cenário muitas vezes desafiador, que preconiza um nicho específico de estilo e oposto à predominantes estilos do mainstream, a Rhestus deixa seu legado como de dever cumprido.

Na nota, os músicos expõem essa escolha a uma série de fatores, como modificações na formação, a logística de shows e ensaios, dificuldades em manter uma estrutura para equipamentos, a relação com a vida pessoal e como consequência disso, a falta de apoio para o Heavy Metal.  No entanto, não é um adeus, pode ser um “até logo”, mas o encerramento do grupo exibe um assunto importantíssimo a ser debatido no espectro do Rock/Metal.

Foto 2: Facebook da banda
Alguns comentários trouxeram à tona experiências, vivências com os músicos, nostalgias e opiniões sobre o término do grupo:

“Parabéns Rhestus pelo grande legado e bela história na música de SC! Como amigo e admirador do trabalho e da postura da banda e dos amigos integrantes e ex-integrantes, parabenizo a todos, e espero que em breve possamos presenciar o ressurgimento da Rhestus! Foi uma honra e uma satisfação poder ter dividido o palco tantas vezes com vocês, e um legado de admiração, amizade e respeito que sempre estará presente! Muito obrigado, amigos! ” (Deny Rodrigo Bonfante, guitarrista da Perpetual Dreams)

“Putz, entendo bem os motivos, mas não deixo de ficar triste!!! Entram para a história e o legado permanece. ” (Alexei Leão, vocalista da Xei & Sons In Black)

“Amigos...uma grande perda, para todos, difícil, depois de todos esses anos acompanhando a banda, para mim algo muito triste...espero que retornem logo. ” (Tuka Hardt, baixista e vocalista da Volkmort).

“Neste momento que estou comentando esta notícia tem 47 compartilhamentos, se fosse divulgação de um show? Nem 5!” (Culver Yu, baterista da Steel Warrior)

“Ícone do metal nacional e catarinense, obrigado por todos esses maravilhosos álbuns, grandiosos shows, e a amizade de alguns componentes, quem sabe esse adeus, não seja um até logo, desejo a todos o melhor sempre Resthus” (Alexandre Ripper, vocalista da Witches Town)

“Cara, é uma grande perda não só para Cena Catarinense mas pro Brasil. O cenário apodrece e só ficam minhocas e sanguessugas.  Esperamos ver os membros ainda presentes nos roles e saber que muitas outras bandas que venham a surgir nesses próximos anos possam homenagear e segurar essa bandeira que vocês ergueram. ” (Bruno Jankauskas, guitarrista da Viletale)

A nós da Urussanga Rock Music fica a mais singela homenagem, a última entrevista que vocês concederam. O grande bate-papo que tivemos no 15° River Rock Festival, que renderam muitas risadas, brincadeiras, história sobre a trajetória e consequentemente o lema que vocês sempre nos deixaram. 




← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

1 comentários:

  1. Obrigado à todos do Urussanga Rock Music pela matéria e pelo apoio sempre dado. Abraços.

    ResponderExcluir