terça-feira, 28 de maio de 2019

HellCat Empire: O Hardcore libertário se destaca no cenário underground

A banda Hellcat Empire formou-se na cidade de Itapira, interior de SP, terra do primeiro capitão campeão mundial pelo Brasil, o saudoso Beliini. Em meados de 2017, juntando integrantes que já passaram por bandas como Take Me Back, Julgamento, Burlesque Playhouse, Coraziones Venenosos, decidiram formar uma banda com influência de Punk 77, Street Punk e West Cost Hardcore. 

Foto 1: Facebook da Banda
Sua formação consta com Mauro (Guitarra e Voz), Alemão Pompeu (Guitarra e Voz), Rude (Bateria) e Cristiano Minhoca (Baixo e Backing Vocal). Resolvemos bater um papo com estes gatos do inferno para o portal Urussanga Rock.

Primeiramente nos fale como está a banda hoje, como foi a repercussão dos dois singles virtuais lançados por vocês nesse tempo e o que há de novo para o futuro dos gatos?
Hellcat Empire: Estamos ensaiando periodicamente e também compondo novas músicas. A repercussão dos dois singles foi muito positiva, temos a expectativa de lançar mais alguns singles, ou talvez um álbum neste ano.

A banda sonoramente tem uma pegada muito boa, transitando entre o Street Punk, Punk 77 e no que chamamos de West Coast Hardcore e até notamos uma inspiração da Pat Smith, visto na frase da música “Together In The Streets”. Nos fale, quais bandas influenciam vocês dentro do Hardcore Punk e também fora dele. Vocês acreditam que também ter e mostrar influencias fora do Hardcore Punk se torna algo mais produtivo e positivo para vocês?
Hellcat Empire: É complicado apontar uma banda ou outra que possa ter uma influência significativa naquilo que compomos. Neste sentido, até mesmo em nosso release optamos por não sermos objetivos - de forma geral, o que influencia a nossa sonoridade é o Punk Rock!  Nada mais fora deste contexto.


Foto 2: Facebook da Banda
 Há uma significativa crítica social e política em suas letras, principalmente dentro do contexto em que nosso país vem passando desde 2016, onde se intensificou mais uma cultura de ódio, neofascismo, e um trabalho intenso para desqualificar os direitos sociais, e também trouxe à tona a sombra do totalitarismo que o pais viveu em 1964.  Enfim, um presidente que representa esse ideal foi eleito e está no poder, junto com seus políticos, os porta vozes de tudo isso que vem acontecendo.  Na música “The Raven” vocês cantam sobre esse problema, sobre o vírus fascista estar emergindo com força, mas parece que as pessoas não compreenderam essa situação. Qual a visão de vocês hoje em 2019 sobre isso?
HellCat Empire: A cadela do fascismo está sempre no cio, não esqueçamos disso. Não é uma situação que vem do agora... subestimamos o então candidato a presidente pela sua imbecilidade e olha onde estamos hoje. Nossa proposta é o combate no dia-a-dia e também através das nossas músicas, que não tem razão de existir se não for para bater de frente com tudo isso.

Por falar em conservadorismo e fascismo, Itapira é uma cidade onde 80 % dos votos foram para o atual presidente. Nos fale como é ter uma banda de Rock e consequentemente de Hardcore Punk nessa cidade? Como é viver dentro de uma sociedade que já tem um histórico racista, conservador que ultrapassa séculos, e como se comportam os “rockers” em Itapira, se põem-se como contestadores dessa realidade?
Hellcat Empire: Não necessariamente em nossa cidade, ter uma banda Punk, que traz consigo o viés contestador, de certa forma incomoda algumas pessoas. Para gente é se sentir vivo, estar um pouco mais ativo por tudo aquilo em que acreditamos. Viver no Brasil é uma luta diária contra tudo que você citou e tantas outras coisas podres e doentias que estão aí. As pessoas que de certa forma estão inseridas em uma cena, no caso a nossa, e não compreendem tudo que está por trás da música, lamentamos. Entristece e também causa revolta, é o que sentimos. Mas não cabe a nós e nem a ninguém fazer juízo de valor - e isso não significa passar pano para quem quer que seja.


Foto 3: Facebook da Banda
Voltando a falar da banda, ouvindo a música de vocês assim como nos shows há uma energia incrível, e uma química fantástica de entrosamento, as alternâncias dos vocais ficaram perfeitas, assim como os singalongs e os instrumentais. Como se dá o processo de composição e de onde vem tanta energia contagiante que vocês colocam em suas músicas?
HellCat Empire: Nos conhecemos há bastante tempo, temos uma ligação muito forte que vai além da música e do ambiente em que ela está inserida. Devido a isso as composições surgem naturalmente no decorrer dos ensaios, onde cada um traz a sua experiência e as músicas vão acontecendo

Muito tem mudado em relação ao underground vivido por exemplo na década de 90 e na atual. Sei que vocês passaram por algumas dessas décadas, vivenciaram essa modificação tecnológica e virtual que acaba atingindo o cenário. Plataformas virtuais, blogs, vídeos, vocês acham que isso de alguma forma tem atrapalhado ou ajudado às bandas? E assim, ainda é possível manter formatos de divulgação mais analógica como vinil e CD ou produzir fanzines impressos? Também gostaria da opinião de vocês sobre os eventos nos dias atuais, visto que há uma certa escassez de público, o que vocês acham que influencia esse fenômeno?
 HellCat Empire: Todo mundo hoje em dia tem acesso às diversas bandas e músicas da cena, acreditamos que este fato tem ajudado bastante. Temos que nos adaptar a tecnologia né, rs. Podemos dizer que somos até saudosistas em relação aos formatos mais analógicos, como o vinil e os impressos. Muito disso se deve a qualidade que se obtém nos discos, é incomparável. É possível manter estes formatos de divulgação, mas não apenas eles, infelizmente. Sobre escassez de público, é que hoje em dia a galera escuta outras coisas, principalmente os mais jovens, é um outro momento e precisamos entender isso. Mas a cena está aí, ela continua acontecendo e precisamos cada vez mais apoiar, frequentar os shows e produzir.

Bom meus amigos, agradeço muito ao tempo cedido para o blog Urussanga Rock, e fica um espaço final para dizerem algo mais as pessoas que acompanham o blog.
HellCat Empire:  “All together, all together, we are one, we are one! AlI together, all together, we will never walk alone!!! (Música Free – e adoro esse som).

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

DEIXE SEU LIKE

ESTATÍSTICAS