domingo, 22 de março de 2020

Volkmort: Agonizante e obscuro, “Battle Desolation” é o primeiro disco do grupo

Em 2019, a banda Volkmort de Timbó- SC, divulgou seu primeiro full length “Battle Desolation” e quinto trabalho do grupo. O material produzido de forma independente contou com a masterização e mixagem de José Fernando Metzger, no Sonority Studio, em Indaial- SC.

Batlle Desolation
O álbum é totalmente conceitual e sua arte da capa, ficou por conta de Emerson Maia e Fernando Atanázio. Além é claro, do design por Ernys e Cintia W. e as fotos pela mesma e também Larissa Z. Com seis faixas, o álbum foi desenvolvido com apenas músicas autorais.

A mais longa do material e uma das mais preciosas, “Sentenced To Death” possui uma intro descomunal, elaborada pela Orquestra Sinfônica de Moscou. Ao decorrer da canção, ela impulsiona a traçar caminhos arrastados e cadenciados, característicos no Doom Metal. A composição expõe a morte e o autoflagelo simbolizados através de uma agonizante batalha.

“The Beginning of the End, Prelude to Chaos” é o prelúdio para o começo do fim. Ou seja, ela explicita a continuidade do caos e do desespero, e a partir de 01:22min a mesma ingressa um instrumental constante, deixando a sonoridade anestesiada.

A terceira faixa “Destructive Obsession (World’s Funeral)” mantém riffs carregados e uma atmosfera obscura, o que pode ser comparado aos tempos áureos do My Dying Bride. Com gritos através da escuridão, a letra caminha entre o vazio e a destruição.

Com uma introdução, a qual faz referência ao longa-metragem “Coward”, dirigido por David Roddham, a canção “Frontline” como seu nome propõe, traz a beligerância de uma guerra insana, ocasionando a dor, o morticínio e sofrimento pelos homens que a lutam. A sonoridade é ríspida, inquietante e exibe um vocal rasgado e cru de Diogo Dunkell Traum.

Definida como a única instrumental do material e a mais curta de duração, “Abyss” é um prelúdio recheado de mistérios. “Triumphus Mortis (Rehearsal)” chega para encerrar o disco, a música foi gravada através de um ensaio e carrega em seu âmago sonoro, a rispidez, a brutalidade e o peso de um instrumental com riffs taciturnos e ao mesmo tempo mórbidos. A composição é em latim, e encerra o ciclo de catástrofes, ao qual faz menção a todo tipo de torturas, necromancia e atos de fúria propostos no vale da morte.

Assim como os shows do grupo, o álbum surpreende no quesito sonoro, toda a obscuridade, mistério e melancolia são propostos e o ouvinte entra num lapso de agonia, o que se torna explicito por riffs ora arrastados, ora mórbidos, uma conexão do Doom com o Death Metal.

Facebook da banda

Sobre a banda
Com 16 anos de história, a Volkmort é um dos ícones do Metal Catarinense. Os músicos possuem cinco trabalhos, a “Demo 2010”, os Eps “Supreme Evolution Of Fear” e “The Beginning Of The End”, a compilação “Traces Of Doom” e o disco “Battle Desolation”, este último consolidando ainda mais o nome dos timboenses no cenário catarinense do Metal Extremo.

Formação Atual:
Diogo “Dunkel Traum” Oliveira (Vocal)
Tuka “Deathos” Hardt (Baixo)
Junior “Unorthodox” Hardt (Guitarra)
Eduardo “Necro Abhorrence” Blumer (Guitarra)
Gabriel “Sepulchral” da Silva (Bateria)

Plataformas Virtuais:

← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário

DEIXE SEU LIKE

ESTATÍSTICAS